Arquivo da categoria: Policial

Video de cachorro sendo queimado vivo. Chocante!

Padrão

Só assista se você acha que é capaz de ver um animal sendo queimado vivo. Link embaixo:

http://noticiasinusitadas.blogspot.com/2011/07/ate-o-dia-de-hoje-eu-nunca-tinha.html

Anúncios

Atriz atingida por bala perdida será enterrada nesta tarde em Campinas

Padrão

A atriz Andréia Cristina Pereira, de 35 anos, atingida por uma bala perdida durante tiroteio em Campinas, no interior de São Paulo, será enterrada na tarde deste sábado (23). Ela tinha acabado de se apresentar em uma peça infantil e estava no banco do passageiro de um carro quando foi baleada no peito após uma troca de tiros entre criminosos e um homem de terno na saída de um cartório do município. O tiro atravessou a traseira do carro e atingiu a atriz.

Ela chegou a ser levada para o Hospital Municipal Doutor Mário Gatti, onde morreu.

Andréia era separada e tinha um filho de 6 anos. Atualmente, ela estava em cartaz em três peças em Campinas, onde também dava aulas de interpretação.

Os disparos
A troca de tiros começou depois que dois homens em uma moto assaltaram um casal que chegava a um cartório na Avenida Jesuíno Marcondes Machado. Um homem de terno percebeu a ação da dupla e disparou contra os assaltantes, que revidaram. Um dos tiros acertou Andréia, que estava dentro de um veículo do outro lado da avenida.

Ninguém foi preso. Os criminosos fugiram com dinheiro – que ia ser usado para pagar uma escritura – e um celular do casal. Uma arma foi encontrada, e passará por perícia.

Segundo o delegado José Roberto Rocha Soares, do 13º Distrito Policial, onde foi registrada a ocorrência, de três a quatro testemunhas serão ouvidas ainda nesta sexta. Ele diz que vai pedir as imagens do circuito de câmeras de segurança do cartório.

‘Ela caiu em cima de mim’, diz amigo de atriz baleada e morta em SP

Padrão
Atriz Atriz foi atingida por tiro no peito quando passava
de carro em frente a cartório (Foto: Reprodução/
TV Tem)

O ator Victor Bastos dirigia o carro e viu o momento em que a amiga Andréia Cristina Pereira, de 35 anos, foi baleada no banco do passageiro em Campinas, a 93 km de São Paulo, na sexta-feira (25). Ele contou ao G1 que ainda tenta se recuperar da cena trágica e que o descanso com a família foi interrompido porque vai participar da reconstituição do crime, marcada para a manhã desta terça (26). A polícia da cidade investiga se a bala perdida que atingiu a vítima partiu do tiroteio após um assalto.

Andréia, que também era atriz, foi atingida pelas costas. A bala acertou seu coração. “Eu só berrava, gritava. Não me lembrava de mais nada”, disse ele, enquanto voltava de Santos para Campinas. “A polícia me chamou e vou participar da reconstituição. Agora que a ficha está caindo”, afirmou o rapaz sobre a morte de Andréia, considerada a “melhor amiga” dele. “A gente se falava todo dia.”

O ator contou que, na tarde de sexta, levava Andréia em seu Uno ao salão de cabeleireiro onde ela tinha começado um curso. Tinham acabado de voltar do almoço com mais dois amigos. No caminho, Bastos se recordou de ter ouvido um barulho. “Parecia um estampido desses de moto. Depois ouvi mais quatro ou cinco. Como sou assustado, me abaixei.”

No momento em que continuou dirigindo, chegou a perguntar a Andréia se aquilo era um tiro. “Ela não me respondeu e não olhei para ela. Quando vi, pouco tempo depois, achei que a Andréia estava passando mal. Ela não respondia e caiu em cima de mim. Comecei a associar as coisas e a afastei do banco. Aí vi que tinha sangue nas costas e não me lembro de mais nada”, relatou o ator, que conseguiu dirigir até o salão.

Os dois estavam na Avenida Doutor Jesuíno Marcondes Machado, que, segundo o rapaz, fica a três quadras do cabeleireiro, no bairro Nova Campinas. A atriz, baleada em frente a um cartório, foi levada para o Hospital Municipal Doutor Mário Gatti, onde morreu. Ela morava com os pais e o filho de 6 anos, que deve continuar com os avós.

Investigação
Até a noite de segunda, não havia informação de pessoas presas por causa do crime. A polícia de Campinas tem duas versões para o caso. Na primeira, dois homens em uma moto tentaram assaltar um casal que chegava ao cartório. Um homem vestido de terno reagiu atirando na dupla. E um destes tiros acertou Andréia.

De acordo com a segunda versão, com base no depoimento de uma testemunha, o tiro foi disparado por um rapaz que perseguia um homem. Os dois saíram correndo do cartório e o que deixou o local primeiro pode ser um assaltante. Ele estava com uma sacola de pano nas mãos. Uma arma encontrada no local pela polícia foi encaminhada para a perícia.

Em cartaz
Andréia e Bastos trabalhavam juntos em Campinas no grupo de teatro Téspis. O diretor teatral Edgar Rizzo, de 70 anos, descreveu a atriz como uma pessoa “muito profissional” e bem-humorada. “Estava sempre fazendo gracinha.” Segundo ele, a vítima entrou para a companhia aos 17 anos, matriculando-se no curso de formação de atores. Atualmente, Andréia participava de quatro encenações.

De acordo com Rizzo, a atriz se apresentava em escolas com a peça “Planeta Maravilha”, que fala sobre meio ambiente. Horas antes de ser assassinada, ela tinha acabado de atuar em uma instituição de ensino da cidade. Andréia também fazia a avó do Menino Maluquinho na peça homônima, inspirada no personagem de Ziraldo.

Também estava em cartaz na montagem “Odeio Teatro” e no infantil “Dona Baratinha”. Rizzo contou que no fim do ano, durante as encenações feitas pelos alunos do grupo Téspis, a atriz será homenageada. “Vamos ler um manifesto contra a violência e dedicar as peças a ela.”

Mãe da menina Joanna diz que prisão de André Marins mostra que existe justiça

Padrão

Ana Maria Braga recebeu, nesta terça-feira, Cristiane Cardoso Marcenal, mãe da menina Joanna, e o padrasto da criança, Ricardo Tostes. “Não tenho motivos para comemorar, mas é um alívio saber o que a Justiça enxergou o que foi feito com a minha filha”, disse Cristiane.
Cristiane comentou que chorou muito ao saber da prisão do pai da Joanna, o técnico judiciário André Rodrigues Marins. O Ministério Público do Rio já tinha feito o pedido de prisão preventiva dele e da madrasta, Vanessa Maia, pelos crimes de tortura com dolo direto e homicídio qualificado por meio cruel.
“Esses últimos dias têm sido muito difíceis. Ontem resolvi ficar na cama até um pouco mais tarde. Quando soube da prisão à noite não tinha motivo algum pra comemorar. Queria que alguém dissesse que a minha filha ia voltar”, comentou. “É claro que, sabendo que está havendo justiça, mostra que não sou uma louca desvairada. A cada dia a história vai se desenrolando, com coisas mais horrendas. Quando acho que está chegando ao fim vem um fato novo, mais horroroso que o anterior. Quando recebei a notícia chorei muito. Não queria que isso tivesse acontecido. Essa história de filha torturada e morta vai ficar colada pra sempre na minha vida. O que eu vou contar para os meus filhos quando eles crescerem? Achei que fosse ter uma capacidade de regeneração mais rápida, mas não estou conseguindo”, desabafou.
A mãe de Joanna falou ainda que, apesar da dor, está aliviada. “Não tinha costas quentes pra mim, mas o que tinha era verdade. O meu alívio é saber que a Justiça enxergou o que foi feito com a Joanna. A gente vai dormir hoje, assim como toda a sociedade, com a sensação de que existe justiça no Rio de Janeiro. Eu e grande parte da população podemos dormir com a sensação de que, nesse estado, existe justiça”, ressaltou Cristiane.

Francesa considerada clinicamente morta acorda após 14 horas

Padrão



Uma mulher considerada “muito provavelmente clinicamente morta” em um hospital na França acordou horas depois disso, depois de seus filhos terem se recusado a desligar os aparelhos.

Os médicos estavam preparando a pacidente de câncer Lydia Paillard, de 60 anos, para uma sessão de quimioterapia quando ela morreu, disse Yves Noel, diretor do hospital Rive Droite, de Bourdeaux.

Um médico conseguiu ressuscitá-la e colocá-la em um respirador artificial. Mas, consultando outros médicos, chegou à conclusão de que ela estava “muito provavelmente clinicamente morta”.

Mas seus filhos não quiseram desligar os aparelhos, e ela foi transferida para o hospital universitário da cidade, onde um exame mostrou que ela, de fato, não havia tido morte cerebral, disse o médico.

“É um tipo de milagre”, disse ele.Lydia Paillard posa ao lado de dois de seus filhos na cama do hospital em Lormont nesta quarta-feira (20).

A mulher acordou 14 horas depois. Ela disse que o médico que a “ressuscitou” cometeu um erro de comunicação, e não um erro médico, e agradeceu a ele por ter salvo sua vida.

“Tudo o que eu me lembro é que eu não me senti bem depois de ter recebido uma injeção para me impedir de vomitar”, disse ela. “Meus filhos, que eu vi ontem, me explicaram que o hospital queria desligar os aparelhos de suporte de vida porque já havia acabado, mas eles recusaram. Eu fui então levada ao hospital universitário.”

“Eu realmente não entendi o que aco

Nível de atividade fica estável em agosto, informa BC

Padrão

Após registrar crescimento de 0,23% em julho, para 139,13 pontos, a maior elevação em quatro meses, o nível de atividade econômica do país ficou praticamente estável em agosto, quando o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) do Banco Central, indicador antecedente do Produto Interno Bruto (PIB), somou139,12 pontos. A informação foi divulgada pela autoridade monetária nesta quarta-feira (20).

Os números do IBC-Br mostram desaceleração do crescimento ao longo de 2010. No acumulado de janeiro a agosto deste ano, dados do BC revelam que o crescimento da economia brasileira ficou em 9,2% contra igual período do ano passado. No acumulado de janeiro a julho, a taxa de expansão estava em 9,65%. Entre janeiro e maio, o crescimento estava em 10,29% e, nos quatro primeiros meses deste ano, também frente ao mesmo período de 2009, somava 10,5%.

IBC-Br
O IBC-Br é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) e ajudar a autoridade monetária na definição da taxa básica de juros (Selic). O Banco Central explicou que o IBC-Br “constitui uma medida antecedente da evolução da atividade econômica”. Antes divulgado por estados, e por regiões, desde o início deste ano o indicador passou a ser calculado com abrangência nacional.

O índice do BC incorpora estimativas para a agropecuária, da indústria e do setor de serviços, além dos impostos. “A estimativa do IBC-Br incorpora a produção estimada para os três setores da economia acrescida dos impostos sobre produtos, que são estimados a partir da evolução da oferta total (produção+importações)”, explicou o Banco Central, por meio do relatório de inflação de março.

Definição dos juros
O IBC-Br é uma das ferramentas utilizadas pelo Banco Central para definir a taxa básica de juros da economia brasileira. Atualmente, os juros básicos estão em 10,75% ao ano. A taxa foi mantida estável no início de setembro, após três elevações consecutivas efetuadas pela autoridade monetária. O Copom se reúne também nesta quarta-feira e a expectativa do mercado financeiro é de que os juros fiquem estáveis.

Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), a previsão do mercado, que já chegou próxima de 5,5% para este ano, atualmente está em 5,20%. Para 2011, a estimativa está em 4,99%. Deste modo, as previsões dos analistas ainda estão acima da meta central de 4,5%, mas dentro do intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo (entre 2,5% e 6,5%). Para o PIB, a estimativa dos analistas das instituições financeiras é de um crescimento acima de 7,5% para 2010.

Carro capota no Minhocão e causa congestionamento no Centro de SP

Padrão
carro capotaCarro capotou no Minhocão, mas ninguém ficou
ferido (Foto: Eduardo Acquarone/TV Globo)

Os motoristas que seguiam pela região do Elevado Arthur da Costa e Silva, mais conhecido como Minhocão, no Centro de São Paulo, encontravam trânsito complicado por volta das 11h30 desta quarta-feira (20) devido a um carro que capotou na via pouco antes das 11h.

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o acidente aconteceu nas proximidades da Rua da Consolação, no sentido Penha, e causava a interdição da faixa da esquerda. Não houve feridos.

Como reflexo, os motoristas enfrentavam 2,7 km de lentidão na via, desde a Avenida Francisco Matarazzo. Na Francisco Matarazzo, a lentidão seguia por 2 km, até a Rua Cardoso de Almeida.

No sentido Lapa, os motoristas enfrentavam 2,4 km de congestionamento no minhocão, desde a Rua da Consolação, e 2,9 km de filas na Ligação Leste-Oeste, desde o Viaduto Alcântara Machado.