‘A Regra do Jogo’: Juliano é preso e entrega a Dante passado criminoso de Romero

Padrão

O passado de Romero (Alexandre Nero) vai começar a ser descoberto por seu filho, Dante (Marco Pigossi), na novela 'A Regra do Jogo', como informou o colunista Daniel Castro nesta segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Ex-político assume ser filho de Djanira, mas se faz de vítima: ‘Ela me rejeitou’

Dante (Marco Pigossi) vai começar a descobrir os podres de Romero (Alexandre Nero) nos próximos capítulos da novela “A Regra do Jogo”, como informou o colunista Daniel Castro nesta segunda-feira (12). Tudo vai acontecer depois da morte de Djanira (Cássia Kis), queserá baleada durante uma perseguição policial para prender Zé Maria (Tony Ramos), bem no dia do casamento de Tóia (Vanessa Giácomo) e Juliano (Cauã Reymond).

Depois de ver a mãe de criação morrer em seus braços, Tóia perde a cabeça e acusa Juliano pela morte, já que ele passou todo o tempo acobertando a ida do pai à comunidade.Enfurecida, ela termina o relacionamento e é consolada por Romero, que sabe que a jovem tem uma grande herança para receber de seu verdadeiro pai. Ao ver a aproximação do ex-político, o ex-lutador, furioso, começa a lhe socar e acaba preso por Dante.

Na delegacia, Juliano se explica para o policial e começa a lhe contar detalhes do passado de Romero que nem ele, como filho, sabia. O primeiro deles é que o ex-vereador é filho de Djanira. Sem entender nada, já que o pai sempre se disse órfão, Dante vai atrás de Romero tirar a história a limpo.

Romero conta que já foi bandido, mas se faz de vítima para o filho

No velório de Djanira, Romero é abordado por Dante, que ainda tenta entender tudo o que ouviu de Juliano. “Fui órfão mesmo. Fui abandonado, não sabia nem… Vou te explicar tudo, Dante, mas não agora. E nem aqui”, diz Romero, pedindo para eles conversarem em outro lugar após o enterro.

Em outra cena, Romero diz a Dante: “Eu e ela tivemos uma relação complicada, ela me rejeitou. Estava tentando me reaproximar”. “O senhor sempre disse que era órfão, não tinha pai nem mãe”, fala o policial, intrigado. “A Djanira me rejeitou, filho. Eu e ela, a gente teve uma relação muito complicada, uma coisa muito pesada. Ela não queria que ninguém soubesse que eu era filho dela. Foi por respeito a ela que eu fiz isso”, ele explica.

“Não entendo. Por que ela não queria que ninguém soubesse que você era filho dela? Você é um homem admirável, um herói”, diz Dante, sem nem imaginar que o pai faz parte da facção que ele tenta a todo o custo destruir. “Eu tive uma adolescência muito complicada. Flertei com a marginalidade. Entendeu agora? Essas coisas que eu não queria que você soubesse de mim. Mas é bom você saber. Saber de tudo. Minha mãe teve razões para me rejeitar. E é por isso que eu me dedico tanto a ajudar os adolescentes a saírem do crime. Porque eu fui um deles. Eu já bati carteira na rua, meu filho. Você se envergonha de mim?”, ele questiona. Tocado, Dante abraça o pai e diz que, através dele, sabe que os bandidos podem ser regenerar.

(Por Carmen Moreira)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s